sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Alfabetos (II)


Este parágrafo extraído do minucioso e repetitivo contrato estipulado entre Leopold von Sacher-Masoch e a sua mulher Wanda constitui o documento de uma obsessão erótica febril e apaixonadamente sincera - que liga para sempre o escritor austríaco ao masoquismo, termo cunhado a partir do seu apelido pelo psiquiatra Krafft-Ebing - e é também um plágio literário e uma falsificação.

Claudio Magris, Alfabetos, p.122.



Sem comentários:

Enviar um comentário