quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Das idas ao cinema (II)


12 anos como escravo não entra para a lista dos meus filmes preferidos, mas, de facto, nenhum outro filme, como este, que de modo directo, ou indirecto, com uma abordagem de uma narrativa, de uma biografia em concreto, ou com uma tematização geral tenha abordado a escravatura me fez proceder à analogia desta – da escravatura – com os campos de concentração, “o holocausto negro” (tópicos que vi, depois, aludidos por Tiago Alves, na Visão), isso não.


Sem comentários:

Enviar um comentário