sábado, 8 de fevereiro de 2014

Básico


Onde exegetas ortodoxos e menos ortodoxos não discrepam:

Para começar, com a possível excepção de Lucas, nenhum dos evangelhos que temos foi escrito pela pessoa que lhe deu o nome. Na realidade, isto é verdadeiro para a maioria dos livros do Novo Testamento. Tais obras, chamadas pseudoepígrafas ou obras atribuídas a um autor específico mas não escritas por ele, eram extremamente vulgares no mundo antigo e não se devem considerar, de modo nenhum, falsificações. Dar a um livro o nome duma pessoa era um modo normal de reflectir as crenças dessa pessoa ou de representar a sua escola de pensamento.


Reza Aslan, O zelota, Quetzal, Lisboa, 2014, p.24.


Sem comentários:

Enviar um comentário