domingo, 9 de março de 2014

Cada vez pior




Pena um homem inteligente como Paulo Rangel estar disposto a assumir e defender um legado de dois anos e meio que de social-cristão – como Rangel se chegou a definir politicamente; salvo erro, em entrevista a Ana Sá Lopes, no I – nada tem (e do qual, não raramente, o eurodeputado fizera exercícios de distanciamento). Também é verdade que não por inteira responsabilidade sua, a Prova dos nove, nos últimos 15 dias, se transformou – como acertadamente anotaram Teresa de Sousa e Vasco Pulido Valente - numa (semi) tourada. Se não é possível um debate civilizado e substantivo entre Paulo Rangel e Francisco Assis, então isto está ainda pior do que se esperava.


Sem comentários:

Enviar um comentário