quarta-feira, 12 de março de 2014

Um ano depois



Rush Limbaugh, apresentador de rádio norte-americano, conservador, acusou o pontífice de pregar “um marxismo puro e duro”. Obviamente, tratava-se de um novo avatar do Francisco imaginário. Com Francisco, a Igreja está firmemente empenhada em pôr em prática aquilo a que os teólogos chamam “opção preferencial pelos pobres”.


Luke Coppen, no semanário (conservador) The Spectator, 11/01/14, em texto publicado na edição (portuguesa) de Março, do Courrier Internacional, p.25 (com tradução de Ana Cardoso Pires).




Sem comentários:

Enviar um comentário