quarta-feira, 12 de março de 2014

Urgências democráticas


Que quadros podem dedicar-se ao estudo, no interior dos partidos, abdicando dos seus trabalhos, ou horas livres, sem devida remuneração? Por pouco popular que seja, a capacitação dos partidos, a este nível era uma urgência para o país – para dar um exemplo recente, no livro de entrevistas com Maria João Avillez, Vítor Gaspar conta como se ofereceu a Eduardo Catroga para lidar com a troika, por considerar que não existia no PSD gente com os conhecimentos e experiência requeridos para o efeito. Mas podíamos falar, igualmente, dos tribunais ad hoc, para investidores, propostos, sem preparação, por António José Seguro. E Pedro Magalhães, em diversos trabalhos, tem provado esta míngua de capacidade técnica e de estudo nos nossos partidos.




Sem comentários:

Enviar um comentário