sexta-feira, 18 de abril de 2014

O tempo do Templo


Conhecida, igualmente, a assimilação dos deuses locais, pelos romanos na vigência do Império. Javé é respeitado. No Templo, reza-se, diariamente, também pelos romanos. Jesus rebela-se contra as práticas religiosas suas contemporâneas, justamente nesse Templo. Com este pano de fundo, já se compreende que os factos ocorridos nessa denúncia jesuana dos vendilhões diga respeito não apenas à autoridade judicial judaica - o Sinédrio [Grande Tribunal] -, mas, também a Roma. Se os hierarcas judaicos deduzem acusação - e, eventualmente, propõem sentença - é Pilatos quem decide. Como na oferta de sacrifícios diários no Templo também se joga a boa fortuna do Império, então o governador não dispensará a devida consideração do caso. A separação político-religioso, neste contexto, reveste-se de carácter precário - eis uma das importantes lições de Gnilka.


Sem comentários:

Enviar um comentário