quarta-feira, 28 de maio de 2014

O professor e o currículo (VI)


Apontamentos, texto-síntese sobre Planeamento e concepção de ensinar, de Teresa Leite

9.Dado o papel determinante do professor na gestão curricular, importa salientar factores que condicionam opções, métodos, escolhas, estratégias (por banda do docente). Do que aqui se cura é de “saberes teóricos, saberes processuais, saberes experienciais, saberes do senso comum, rotinas automatizadas – todo um conjunto de conhecimentos de natureza diversa, alguns dos quais conscientes e explicitados, outros apenas implícitos (Rodrigues, 1999)”. Isto é, “é a mobilização integrada e adequada desses saberes que permite que o professor seja capaz de: - observar, analisar e interpretar o real, na sua complexidade, mobilizando conhecimentos e experiências; - conceber uma estratégia global coerente para atingir um determinado fim; - escolher, de entre os conhecimentos, valores, técnicas e instrumentos, os mais adequados à situação, criando um dispositivo de aprendizagem pertinente (Perrenoud e outros, 2001)”.
Para lá do que a formação inicial do professor possa enformá-lo a todos os níveis (vindos de mencionar), naturalmente o desenvolvimento da sua carreira, novas experiências, novos contextos, outras aprendizagens, a diversidade de alunos irão promover, por certo, mutações na compreensão, escolhas, opções da/na gestão curricular, na planificação, estratégias e operacionalização (das mesmas) pelo professor.


(conclusão)


Sem comentários:

Enviar um comentário