quarta-feira, 28 de maio de 2014

Ordoliberalismo


De acordo com Hans-Werner Sinn, um dos mais influentes economistas alemães contemporâneos, pode ser entendido como a escola alemã do neoliberalismo, por oposição ao paleoliberalismo, que tinha uma hostilidade visceral contra o Estado. O ordoliberalismo foi criado no início da década de 1930 no meio académico alemão, em particular na Universidade de Friburgo, mas a sua origem, segundo Sinn, pode ser recuada até à Verein fur Socialpolitik, criada em 1873, e grande inspiradora da politica social do chanceler Otto von Bismarck. Estava lançada a ideia de um mercado funcionando debaixo das suas «forças auto-organizadoras», mas «dentro de um quadro de regras que cabia ao Estado produzir». De entre a numerosa literatura sobre a matriz alemã, não só das políticas de austeridade encontradas como resposta à crise europeia, mas de toda a arquitectura da integração europeia, deve destacar-se uma notável obra de Mark Blyth. O autor chama a atenção para o facto de que, mesmo antes da UEM, toda a tónica das políticas europeias, na concorrência e na competitividade, têm a marca do ordoliberalismo.

Viriato Soromenho-Marques, Portugal na queda da Europa, p.155


Sem comentários:

Enviar um comentário