terça-feira, 3 de junho de 2014

A mudança nas placas tectónicas


De acordo com o jornal I, Francisco Louçã, após as mais recentes eleições europeias, considera não haver hipóteses de reestruturação da dívida portuguesa, pelo que, terá afirmado no passado Domingo na Mesa Nacional do seu partido, a saída do Euro é uma hipótese a colocar seriamente (aproximando-se, assim, das posições do PCP). Isto, no entanto, quando havia escrito em Dívidadura (com Mariana Mortágua):  a saída de Portugal do Euro "precipitaria uma desvalorização agravada dos salários e um aumento suplementar dos impostos e da dívida, ao mesmo tempo que desencadearia inflação e mais desemprego".


Sem comentários:

Enviar um comentário