segunda-feira, 2 de junho de 2014

ABSTENÇÃO (TÉCNICA E REAL)







Visão: O número oficial de eleitores em condições de votar nestas eleições europeias era de 9 681 415. É desfasado da realidade ao ponto de falsear muito a taxa de abstenção e os resultados?

Filipe Montargil: Faz sentido, para facilitar a análise, retirar deste universo os eleitores portugueses no estrangeiro: cerca de 230 mil. Temos, desta forma, cerca de 9,5 milhões no território nacional. Se olharmos para o número de residentes em Portugal com 18 e mais anos, temos cerca de 8,6 a 8,7 milhões, em 2011.
Ou seja, o recenseamento eleitoral apresenta valores bastante superiores aos dados da população residente em Portugal com 18 e mais anos (cerca de 800 a 900 mil eleitores a mais, utilizando estes dados). Esta discrepância, já antiga (existem estudos sobre a questão, pelo menos desde o início da década de 1990), aponta para a possibilidade de muitos registos do recenseamento eleitoral não se encontrarem actualizados. Enquanto não utilizarmos dados sobre a distribuição deste fenómeno misturamos abstenção técnica e real.


Filipe Montargil é sociólogo e professor na Escola Superior de Comunicação Social de Lisboa. Tem estudado a abstenção no sistema eleitoral português. Visão, nº1108, 29 de Maio a 4 de Junho de 2014, p.24.


Sem comentários:

Enviar um comentário