terça-feira, 17 de junho de 2014

Já desconfiávamos


Henry Milner estabelece uma relação entre maior consumos de imprensa escrita e menor dependência televisiva com maior espírito e participação, literacia cívica. Pensa, sobretudo, no caso escandinavo. O autor estabelece, inclusive, o nexo com a abstenção. Quem lê jornais e sabe qual o tratamento televisivo dado, por exemplo, a acontecimentos como a guerra do Iraque, ou à crise pela qual continuamos a passar compreende bem o traço de causalidade sugerido. Por isso é que também despedimentos colectivos, como os agora ocorridos no grupo Controlinveste, com jornalistas ou comentadores especialistas em algumas áreas, como a cultural, de grande qualidade são tão nocivas ao nosso espaço público.


Sem comentários:

Enviar um comentário