quarta-feira, 11 de junho de 2014

O Brasil e o futebol


"O Brasil parar em função do Mundial, como se fosse a coisa mais importante que existe, é absurdo. O país tem milhões de problemas sociais para resolver.

Essa história sempre repetida de que o Brasil é o país do futebol não faz sentido. Metade da população do Brasil não acompanha o jogo. Sempre que fazem sondagens, a maior torcida do país é a dos que não tem clube. Só no Campeonato Mundial é que fica esta coisa louca, o país pára, é uma coisa quase delirante, diga-se de passagem. Por exemplo, o campeonato dos EUA tem uma média de espectadores do que o Brasileirão".

Tostão, em entrevista ao Expresso, 07/06/14




P.S: Considerado um dos grandes craques da história do futebol brasileiro, viu-se obrigado, por lesão, acabar, precocemente, a carreira de futebolista. Enveredaria pela carreira académica, vindo a ser médico e Professor de Medicina. Continua a comentar futebol, que ama ver, sendo reputado crítico brasileiro sobre o jogo.



P.S.2: "Mourinho é um grande treinador, competente, brilhante estratego, com um currículo vencedor, organiza as equipas muito bem e eu admiro muito esse lado. Mas é também um representante, talvez o maior, da escola pragmática, utilitária, resultadista. Vencer é muito importante (…) mas falta-lhe, a ele e à maioria dos treinadores, um entendimento de que o futebol também é espectáculo. Veja o caso da utilização no Chelsea do Azpilicuelta, com o Atlético de Madrid (…) Um erro. Em vez de usar o Óscar ou outro jogador de qualidade preferiu fechar o lado do campo. Às vezes resultam as mudanças estratégicas dele, outras vezes falham. Mas ele gosta de as fazer para que depois se diga: foi o Mourinho que ganhou o jogo. Ele tem esse lado vaidoso, narcisista, de ser o centro do jogo, isso é evidente".


Sem comentários:

Enviar um comentário