quarta-feira, 24 de setembro de 2014

"Código Chostakovich"



Foi Fernando C. Lapa quem explicou, em comentário introdutório - com algumas exemplificações práticas - à 10ª Sinfonia de Chostakovich como, nesta composição, o nome do autor e sua amada Elmira (certas notas, correspondem a determinadas iniciais - as letras D. SCH, correspondem a, mi bemol, , si) são gravadas em um jeito autobiográfico, combinado com a posição política, de sarcasmo sobre Stalin, que de modo impressivo desagua na peça, a que se soma, ainda, uma dimensão abstracta que diferentes ouvintes interpretarão de modo diverso (desde logo, o andamento inicial, para uns triste e melancólico, para outros denso, profundo, realista). Lapa terminou lendo Sophia sobre o significado da arte e o papel dos artistas. 
Com a Sala Suggia, da Casa da Música, praticamente cheia, assim, a Orquestra Sinfónica do Porto, com direcção de Takuo Yuasa, a proporcionar uma agradável manhã de Domingo.

Sem comentários:

Enviar um comentário