terça-feira, 18 de novembro de 2014

Biografias


Trazia uma bucha de casa, para o almoço e aproveitava os intervalos para ir ler para a biblioteca. Foi assim que, no liceu Passos Manuel, ao fim de três anos, Adriano Moreira tinha lido 12 volumes de Ramalho Ortigão e Eça de Queiroz. Ensinou o filho Nuno a ler pela cartilha maternal de João de Deus, pela qual o próprio aprendera a ler. Quando trazia dinheiro para o lanche, se ficasse pela metade do que ia lanchar, dava para parar na Barateira, a comprar livros. E foi assim que fez durante anos.

Sem comentários:

Enviar um comentário