quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

O tempo

Resultado de imagem para fugacidade

Falta ao tempo um ritmo ordenador. Daí, que perca o compasso. (...) Não há nada que reja o tempo. A vida não se enquadra numa estrutura ordenada nem se guia por quaisquer coordenadas que engendrem uma duração. Identificamo-nos também com a fugacidade e o efémero. E, assim, cada um de nós próprios se torna qualquer coisa de radicalmente passageira. A atomização da vida supõe uma atomização da identidade. Cada um passa a ter-se somente a si mesmo (...) As pessoas envelhecem sem se tornarem maiores.

Byung-Chul Han, O aroma do tempo, Relógio d'Água, 2016, pp.9-10

Sem comentários:

Enviar um comentário