segunda-feira, 17 de abril de 2017

Profundidades


A psicologia das profundidades de C.G.Jung ajudou-me a confiar nos símbolos cristãos. Jung está convencido de que em cada alma estão disponíveis imagens arquetípicas. E essas imagens estão abertas a Deus. Jung fala da sabedoria da alma, que sabe da existência de Deus. Faz, pois, sentido confiar psicologicamente na sabedoria da alma. Pode dizer-se, certamente, que isso é apenas um truque da psique para, de algum modo, se viver com sentido neste mundo. A psicologia das profundidades não pode demonstrar Deus, mas a imagem de Deus está profundamente gravada na nossa psique. Como homem racional, posso confiar que a estas imagens corresponde uma realidade. Jung refere ainda que há, de vez em quando, fases de morte e do desvanecimento de Deus. Depois, ocorre outra vez uma nova busca de Deus.

Anselm Grun, Quando a fé e a descrença se abraçam - conversa conclusiva, in O abandono de Deus, Paulinas, 2017, p.213

Sem comentários:

Enviar um comentário