quinta-feira, 1 de junho de 2017

Fé e vida (II)



Podemos pensar a cultura, com Juan Ambrosio, como os modos de vida de uma população e os esquemas de significação - que significado atribuem as pessoas - a esses modos de vida. Nesse sentido, as comunidades cristãs têm que propor um "cristianismo antropologicamente significativo": que dê significado à vida. Que dialogue e transforme a cultura (circundante/em que se insere). Quando a fé atribui significados novos à vida, produz novos modos de vida, porque dá sentido à maneira de viver. É aqui que se joga a benção. Porque ajuda a viver de outra maneira. E, como diz José Frazão, "a fé não pode deixar de saber aquilo que dá sabor à vida".

Sem comentários:

Enviar um comentário