domingo, 11 de junho de 2017

Planando


Sobre a entrevista/debate de António Costa a José Gomes Ferreira, na Sic, esta semana, Graça Franco fez as duas anotações que se impunham: a) é uma novidade a ideia de que baixar o défice - pelo menos, se entendido em qualquer circunstância - é sempre boa política, como transmitiu o PM (após muito do que foi dito sobre o Tratado Orçamental, e antes deste, de conjunturas que demandem uma política contra-cíclica em ambiente recessivo); b) no debate sobre se a "austeridade" continua (ou não) a vigorar em Portugal, há uma diferença muito grande, quer se queira quer não, "entre aumentar os impostos dos produtos petrolíferos ou baixar o RSI, ou entre aumentar o IVA ou diminuir os abonos de família". Um terceiro apontamento de Graça Franco foi para o título de um livro publicado por Gomes Ferreira, que nele se colocava na pele de Primeiro-Ministro com programa a aplicar, perpassando, evidentemente, nesse lembrete, um tom jocoso sobre tal presunção, além do que nele de ideologicamente se reivindicava, caminho aberto a uma noite carregada de ironia com que Costa se superiorizou ao jornalista, vestindo a pele de um jovial governante, com sentido de humor, estilo que, mais do que o conteúdo vindo de observar, fixou as atenções de quem o viu em prime-time.

Sem comentários:

Enviar um comentário