terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Centeno


Quando a troika chegou, Carlos Costa e Vítor Gaspar indicaram Centeno para as negociações por ser o quadro mais qualificado do Banco de Portugal. Quando Cavaco Silva tentou um acordo de regime entre Passos Coelho e António José Seguro na sequência da crise política de 2013, Centeno foi chamado às negociações (...) Centeno passará a ser um rosto do inimigo, que torna impossível a utilização de argumentos tipo 'a culpa é de Bruxelas'.

Ricardo Costa, Expresso, nº2353, 1 de Dezembro de 2017, p.2

Sem comentários:

Enviar um comentário