sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Um gestor de pressões


Tive um aluno que foi assistente de Al Gore na Casa Branca e um dia convidei-o a vir à minha aula falar sobre a sua experiência. Para ele, o Presidente não é mais do que um gestor de pressões. Recebe-as de todos os lados. Um bom exemplo de um bom gestor de pressões foi Clinton, que era um contorcionista. Inclinava-se mais para a esquerda, mais para a direita, mais para trás, mais para a frente, conforme a pressão. Quem não exerce pressão sobre o poder é como se não existisse. 

Onésimo Teotónio Almeida, Jornal de Negócios, nº3654, 29-12-2017, Weekend, p.6

Sem comentários:

Enviar um comentário