terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

Pais


Qual é que é hoje a principal preocupação dos pais?


Acho que é quererem ser pais perfeitos e fazerem tudo bem e culpabilizarem-se muito se alguma coisa corre mal. Têm sempre as gavetas cheias de culpa. Querem muito que os filhos tenham tudo e não conseguem dar-lhes um bocadinho de frustração. Quando dizem Maria não vais comer um gelado porque acabaste de comer um. Alguns não conseguem dizê-lo, a Maria faz uma birra e leva um segundo gelado. Mas mesmo aqueles que conseguem e dizem que não, ficam mortificados, o que fiz à minha filha. (...) Sim, coitadinha, queria tanto o gelado. Não deu e pronto. As pessoas têm de perceber que não é isso que põe em causa o amor dos pais, pelo contrário, as regras, a firmeza e haver alguma orientação são uma demonstração de amor, mesmo que os filhos fiquem furiosos. O nosso papel é desmontar essa fúria e mostrar que há mais tempo, há mais gelados. É essa a perspectiva que os adultos têm de dar e por vezes se demitem, a perspectiva de quem já viveu, tem experiência e que a experiência diz que é preciso ter calma. (...) Sim, mas [dar o segundo gelado] é comprar afecto, é despachar tudo. Mas se calhar acaba o segundo gelado e pede o terceiro e com que cara é que a pessoa não dá o terceiro. E este quero tudo já leva ao narcisismo, que é a pior doença social, a que desgasta mais. Está muito relacionada com o poder: os narcisista quando tem poder, seja doméstico, social ou político, sobe aos píncaros

Mário Cordeiro, pediatra, entrevistado por Marta F.Reis, para o I, 08-02-2019, p.26.

Sem comentários:

Publicar um comentário